Bayer

Tanto o sobrepeso quanto a obesidade contribuem para o aumento da incidência de problemas cardiovasculares, o que inclui a fibrilação atrial, que é um tipo de arritmia cardíaca. Como sobrepeso e obesidade crescem em proporções epidêmicas, a tendência é aumentar a quantidade de casos da doença. Só para dar uma ideia, mais da metade da população brasileira está com sobrepeso. Além disso, a obesidade já atinge 20% das pessoas adultas no Brasil de acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO)1.

O QUE SÃO SOBREPESO E OBESIDADE?

Tanto o sobrepeso quanto a obesidade significam excesso de gordura corporal. A diferença está no Índice de Massa Corporal (IMC), medida internacional usada para verificar se uma pessoa está no peso correto. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma pessoa está no peso normal quando tem IMC entre 18,5 e 24,9. O sobrepeso é quando o IMC vai de 25 a 29,9. E a obesidade, quando o IMC está a partir de 30.

EMAGRECER AJUDA A REDUZIR A FIBRILAÇÃO ATRIAL

A obesidade ou o sobrepeso podem elevar as chances de desenvolver fibrilação atrial. Mas obesos com fibrilação atrial que eliminam parte do peso corporal têm mais chances de melhorar efetivamente os sintomas da doença a longo prazo do que os pacientes que não emagrecem, segundo estudo do American College of Cardiology2. No curto prazo, o controle do peso também pode diminuir os sintomas, bem como melhorar os resultados da ablação, que é um tipo de cirurgia feita para controlar a frequência cardíaca.

Mas se perder peso pode ajudar, voltar a ganhá-lo aumenta o risco de fibrilação atrial. Pacientes que perderam e depois recuperaram peso, causando uma variação de mais de 5%, tiveram duas vezes mais chances de ter problemas de saúde2. Portanto, fugir de dietas da moda para emagrecer, fazer uma reeducação alimentar com o acompanhamento de um profissional de saúde para incorporar uma alimentação saudável no seu dia a dia refletem em resultados duradouros.

Emagrecer ajuda a reduzir a fibrilação atrial

EMAGRECER É BOM PARA EVITAR VÁRIOS OUTROS PROBLEMAS DE SAÚDE

A perda de peso não traz benefícios apenas em relação à fibrilação atrial. É bom para a sua saúde no geral: há um risco menor de ter outros problemas cardiovasculares, pressão alta e diabetes tipo 2, além de melhorar a capacidade pulmonar.

Emagrecer é bom para vários outros problemas além da fibrilação atrial

VOCÊ SABE QUAIS SÃO
OS FATORES DE RISCO PARA
OCORRÊNCIA DO AVC?

Clique aqui e descubra
preenchendo o quiz.

PROCURE
UM PROFISSIONAL DE SAÚDE

Procure um profissional de saúde

ESCUTE O SEU CORAÇÃO
E SINTA O PULSO DE SUA VIDA!

Apenas um médico cardiologista pode avaliar o que você está sentindo e ajudar a cuidar de sua saúde.

PROCURE SEU MÉDICO!